Caminho de Cora Coralina – recomendações e dicas

O Bismarque recomenda que os peregrinos comecem o caminho bem cedo, por volta das 05h da manha, ainda sem sol. Esse horário, com temperatura amena rende a caminhada e permite que a gente faça 80% do trecho do dia até o meio dia, quando o calor fica insuportável.

Ele recomenda que ao meio dia se faça uma pausa para almoçar e descansar até o sol baixar por volta das 16h e só então devemos retomar o caminho, em temperatura agradável. Não fizemos isso em nenhum dos dias, mas recomendamos, pois em vários momentos ficamos superaquecidos e não foi legal, seria mais tranquilo não passar por isso.

Ele também recomenda que o Caminho seja feito por grupos de ao menos 3 pessoas, pois no caso de uma emergência e de acidentes, enquanto um vai buscar ajuda o outro fica apoiando o acidentado. Não é recomendado fazer o caminho sozinho.

Uma dica básica para qualquer caminhada é usar tênis e meia já amaciados pelo menos 15 dias antes. Os tênis devem ser um numero maior que seu pé, pois com o calor do dia a tendência é inchar e apertar, provocando bolhas.

Passe óleo mineral ou de amêndoas nos pés, diminuído a fricção e minimizando bolhas. Leve micropore e esparadrapo para eventuais irritações antes de formar bolhas e para curativos caso essas se formem. Leve também uma agulha imersa em um algodão com álcool para furar as bolhas se for necessário e clorhexidina para passar na ferida.

Compramos uma excelente tintura de arnica pura com concentração de 250 miligramas por grama (de um laboratório do sul, Hertz) para passar no corpo todos os dias a noite, o que nos deixou zerados de dores musculares todos os dias.

Importante levar os celulares carregados e se possível bateria externa para em uma emergência acionar socorro, como o caminho tem muita coisa para fotografar isso vai custar um tanto de bateria.

Importante ter salvo no celular os números de contato de resgate e dos pousos para o caso de alguma emergência ou de nao conseguir terminar o trecho pedindo para que a pessoa do pouco vá te resgatar, como aconteceu com nossas amigas no trecho de Radiolândia.

Também vai demandar bateria do celular um app de localização com marcador do caminho por GPS. É importante especialmente para contar trechos de asfalto até as entradas e outros trechos cuja marcação está apagada. Também é bacana para marcar quanto se andou no dia e em alguns apps é ainda possível compartilhar o percurso em redes sociais e assim ajudar pessoas que vão percorrer o caminho depois de vc.

Na mochila você deve levar muita água, é o que mais pesa e você vai precisar de pelo menos 2l por dia, sendo que no trecho de Caxambu (30km) essa quantidade não foi suficiente.

Exageramos nos lanches nos primeiros trechos, no fim percebemos que todo mundo acaba comendo pouco, ao contrario da água que consumimos muitos. Nossa matula foi toda trabalhada na comida tropeira e levamos paçocas doce de baru e de carne de sol, também levamos queijo, rapadura (que nunca falta), salaminho, frutas secas, passa de caju, pão entre outros acepipes. Levamos também uma pequena faca de frutas e pimenta seca pilada com sal (jiquitaia) que ficou perfeita com as frutas que coletamos no caminho, em especial com o cajuzinho. Não levamos cachacinha (eita povo fitness) mas deveríamos ter levado (hehehe), seria um bom combustível em alguns momentos pauleira.

Por falar em mochila, nunca é demais falar sobre o peso, quanto mais leve melhor uma vez que o Caminho é longo e muito acidentado, com sobe e desce e uma mochila pesada vai cobrar um preço grande no cansaço e dor nas costas no fim do dia.

Nos pousos é possível lavar roupa, o que já diminui bastante a carga, a parte de lanchinhos pra caminhada também pode ser econômica e pouco pesada (foi o que mais pesou em nossa bagagem de gulosos rsrsrs).

Importante também chapéu e protetor solar, o sol de Goiás é forte desde cedo. Adotamos também camisas de manga comprida para proteger os braços. Quando encontrar água, riachos, córregos recomendamos molhar a camiseta e chapéu pra esfriar a temperatura do corpo e a caminhada ficar mais tranquila.

O bastão de caminhada facilita muito nas subidas, descidas e nos momentos em que o gás já acabou e você está se arrastando (rsrsrs), vale investir em um.

Na mochila é importante levar tudo dentro de sacos plásticos para eventualidade de pegar chuva no caminho, pegamos em um dos dias e como nao estávamos prevenidos ficamos com tudo molhado na mochila e a partir dai adotamos os saquinhos e nao tivemos mais problemas.

Pelo mesmo motivo, chuva, é legal levar uma camiseta e uma meia extra secos e ensacados para o caso de molhar os que estão usando. Especialmente a meia pois molhada facilita a formação de bolhas.