Lagarto assado com purê de batata doce e alho + vegetais – Dia a dia saudável e descomplicado

Fotografei esse post dia desses, queria escrever sobre comida do dia a dia, descomplicada e saudável e aí que esse jantarzinho caseiro acabou virando post.

Apenas receitas simples de fazer e um bom repertório de acompanhamentos para esse lagarto, clássico dos almoços de domingo da minha mãe, que sempre o servia acompanhado de um mix de batatas, cebola, alho e milho verde assados no forno e uma saladinha, mais nada.

comida-do-dia-a-dia-saudavel-e-descomplicada-(leticia-massula-para-cozinha-da-matilde)

E foi inspirada nos almoços de domingo em casa que eu dei um limpa na geladeira e fiz um purê de batatas doces roxas e alhos assados, salteei as ervilhas tortas com alho e raspas de tangerina (que adoro) e ainda aproveitei as bok choys (acelgas chinesas deliciosas e que estão na época) que fiz tostadinhas na chapa. Para acompanhar a carne fiz ainda um molhinho de ervinhas aromáticas com pimenta e azeite. Tudo rapidinho, gostoso e saudável, perfeitos para quem quer comer bem no dia a dia sem perder horas para isso.

E se vc achou demais o numero de acompanhamentos, oras bolas, não precisa fazer todos, faça um de cada vez. O importante é que você tem em mãos um trio de acompanhamentos, use-os como quiser.

Vamos começar pelo principal, o lagarto assado em sal grosso:

Taí uma carne muito simples de fazer e deliciosa. Em geral as pessoas cozinham muito o lagarto, braseando por horas, eu também adoro fazer assim, como essa receita da minha avó, recheado com toucinho.

A pegada aqui é diferente, apesar do lagarto ser uma carne mais dura e seca, que oferece certa resistência, quando assado desta maneira, mantendo o miolo rosado, fica macio e suculento. Tudo é uma questão de  não passar o tempo de forno.

E quando sobra, a turma aqui de casa fica muiiiiito feliz, pois ele dá uma carne louca perfeita, de arrancar suspiros,  mas isso é assunto para outro post…

receita

Lagarto assado no sal grosso

Ingredientes 2 porções

  • 1 lagarto pequeno ou meio (suficiente para 2 pessoas) – eu sempre prefiro os lagartos menores, são mais macios. Outra coisa importante aqui é sempre escolher uma peça com uma quantidade de gordura, ela vai conferir sabor à carne.
  • Sal grosso suficiente para fazer uma crosta
  • molho de ervas: misture com azeite e sal, salsinha laminada + folhas de tomilho + hortelã laminado + ciboulette + pimenta calabresa seca – Está pronto!

Modo de fazer

lagarto-assado-no-sal-grosso-(leticia-massula-para-cozinha-da-matilde)

Leve o lagarto com a crosta de sal grosso ao forno pré aquecido por 30 a 40 minutos – dependendo do tamanho e espessura da sua peça de carne. Esse aí era largo apesar de pequeno e ficou perfeito com 40 minutos de forno. Deixe a carne descansar por 5 minutos antes de cortar.

Sirva regado com o molho de ervas e os acompanhamentos de sua escolha.

receita

Purê rústico de batata doce roxa + alho assado & cebolas assadas

Ingredientes – 2 porções

Purê

  • 2 batatas doces roxas médias descascadas e cortadas em rodelas de 2 dedos de espessura
  • 8 dentes de alho com casca
  • 2 colheres de manteiga sem sal
  • 1/2 xícara (chá) de leite
  • sal e pimenta do reino moída na hora a gosto

Cebolas

  • 1 cebola partida em quatro com casca
  • azeite, sal e pimenta do reino moída na hora à gosto

Modo de fazer

pure-de-batata-doce-com-alho-assado-e-cebolas-caramelizadas-(leticia-massula-para-cozinha-da-matilde)

Purê

Faça uma pacotinho com os dentes de alho embrulhando-os em papel alumínio.

Disponha as batatas doces regadas com azeite em uma assadeira, o pacotinho de alho também, e leve-os ao forno pré aquecido por 30 minutos. (Dica: O ideal é levar as batatas e o lagarto ao forno junto, assim enquanto o lagarto chega no ponto vc processa o purê.)

Verifique se as batatas estão assadas e macias e então amasse-as com um amassador ou garfo ou passe-as pelo espremedor direto em uma panela.

Esprema os dentes de alho, para que saia apenas a polpa doce e cremosa e misture-os à batata.

Acrescente o leite e a manteiga e leve ao fogo mexendo bem – se necessário, acrescente mais leite. Ajuste o sal e polvilhe com pimenta do reino moída na hora.

Cebolas

Asse-as no forno pré aquecido regadas com azeite e cobertas com papel alumínio por 20 minutos. Polvilhe com sal e pimenta do reino moída na hora.

receita

Bok choy chapeada e ervilhas tortas salteadas com raspas de tangerina

Ingredientes

Bok choy

  • 2 bok choys partidas ao meio no sentido do cumprimento
  • azeite e sala gosto (usei sal nego para dar charme)

Ervilhas tortas

  • 12 ervilhas tortas das menores, sem o fio.
  • raspas de 1/2 tangerina
  • 1 dente de alho brunoise
  • azeite e sal a gosto

Modo de fazer

ervilhas-e-bok-choy-(leticia-massula-para-cozinha-da-matilde)

Bok choy

aqueça uma frigideira anti aderente e nela disponha as bok choys com a polpa virada para baixo – sem azeite, nem óleo.

Quando a polpa começar a escurecer (igual à foto), retire-as do fogo, regue com azeite e polvilhe com sal.

Ervilhas

sue o alho em um fio de azeite e uma pitada de sal. Salteie as ervilhas até mudarem de cor.

Salpique com as raspas de tangerina, ajuste o sal e está pronta.

Bom apetite!

Harmoniza com…

para beber

por
marcelo pedro

Como a receita de hoje é caseirinha para o dia a dia, vou indicar um vinho que bebemos semana passada, também num jantar caseirinho na casa da tia Cristina, uberlandense como a Léti. Tinha comprado um tinto australiano uns meses atrás, com preço bom no supermercado aqui da vila, mas não havia tido a lembrança de tomá-lo. Era um Shiraz da vinícola australiana Casella wines, chamado Yellow Tail, safra 2011. A uva Shiraz não deve ser confundida com a francesa Petite Sirah, uma variedade criada na década de 1880 cruzamento da Syrah (nome francês da Shiraz) com a Peloursin. A Syrah é originária da região do Rhône, e após 1998 estudos genéticos mostraram ser originária das variedades Mondeuse blanche e Dureza. A ciência acabou com a história romântica de que a Shiraz era originária da antiga Pérsia, da cidade de Shiraz, levada para a França pelo cruzados na idade média… Mas esta é outra história.

A variedade Shiraz é cultivada em diversas partes do mundo, mas na Austrália é a principal uva para vinhos tintos, e provavelmente os melhores vinhos australianos são desta casta. Também foi australiana a idéia de fazer assemblage da Shiraz com a Cabernet Sauvignon, que também produzem grandes vinhos australianos.

A marca Yellow Tail é bastante acessível, com preços em torno de R$30.00 – R$35.00. Como característica de vinhos modernos já vem pronto para tomar, sem necessidade de envelhecer na garrafa, daí ter tampa de rosca e não rolha. Tem uma cor muito bonita, rubi-violácea, muito sabor de frutas vermelhas e geléia e um final bastante elegante e persistente. Com taninos macios, é um vinho seco que agrada a todos, super fácil de tomar e que tem potência alcoólica suficiente para encarar carnes assadas, como o lagarto de hoje. Cheers Mate!


para ouvir

por
marina novaes

Descomplicada e saudável são coisas que deviam estar nas nossas vidas como um mantra.  E pensando nesta premissa e no trio de acompanhamentos, recomendo que o lagarto assado seja saboreado ao som das I Threes, com a música Many are Called.

O trio (lendário!) jamaicano, era formado Rita Marley, Judy Mowatt e Marcia Griffiths  e foram o mais influente grupo feminino na história da música jamaicana.

Quando o Peter Tosh saiu do The Wailers, o Bob Marley as convidou para gravar com ele no disco Jah Live. E depois continuaram juntas por mais dez anos. O nome do grupo tem todo um jogo de palavras com significado rastafári, mas a idéia toda desta harmonização é para ser descomplicada, né? Então deixa para lá.