Na Cabeceira 44 – Guia da Culinária Ogra

imagesGuia da Culinária Ogra – André Barcinski – Ed. Planeta

Esse aqui já devia ter virado dica aqui faz tempo, é o que chamo de serviço de utilidade pública!

Sem querer desmerecer os demais guias, este aqui vai além, na medida que indica o que a gente só fica sabendo ao pé do ouvido, no boca a boca, ou você conhece alguém que conhece ou provavelmente nunca vai ficar sabendo. Indicações garimpadas de comedores simples, escondidos, com comida muito boa, raramente visitados por críticos de gastronomia ou resenhados para grandes veículos pelo simples fato de que não têm qualquer pretensão dessa natureza. São reconhecidos por seu público que forma filas nas portas e estão ali apenas para servir comida bem feita, gostosa, abundante e barata!

Sabe o PF do boteco da esquina com o melhor bife do mundo? Ou aquele outro que serve o melhor arroz com feijão fora de casa? Ou o chinês pé sujo que você nunca se arriscaria sem uma indicação segura? E aquele coreano top escondido atrás de uma portinha fechada com cortina de banheiro?

Todos eles você encontra no Guia da Culinária Ogra do André Barcinski (ainda vou virar amiga deste cara!), que generosamente compartilha seus achados espalhados por toda a cidade, com todos os tipos de comida e possível para quase todos os bolsos. Desde o estudante durango que precisa comer alguma coisa antes ou depois da balada (mas reservou quase todo o parco orçamento para a cerva), gente que precisa almoçar todo dia fora (com ticket mega curto) até eu, você, todos nós que queremos comida, diversão e arte mas  “money que é very good nóis não have” né mesmo!?

Encontrei ali alguns dos meus favoritos como o Chi Fu, Royal, Rota do Acarajé, Casa Garabed, Aldeia da Pedra (todos já indicados aqui), e vários outros que frequento (e ainda vão virar recomendações), mas fiquei surpresa com a quantidade de lugares que eu nunca tinha ouvido falar (e que fiquei doida para conhecer). Tanta informação bacana que eu, Marcelo e a querida Evane, fizemos um pacto de visitar em 2013 todas as indicações do guia que ainda não conhecemos. Pode deixar que vou contado os achados por aqui!

Senti algumas ausências: o Taormina, o Yokozuna e a minha querida segunda casa, onde por coincidência comprei o meu exemplar do guia, a querida Mercearia São Pedro!