Na Cabeceira 52 – The Art of Simple Food – Alice Waters

41cZuqeFB1LE eu aproveitei o fim de semana para mergulhar no The Art of Simple Food da Alice Waters, já tinha o livro há algum tempo, já havia folheado, mas só neste finde parei para ler e me aprofundar um pouco mais.

É maravilhoso, como não podia deixar de ser. Eu adoro a Alice, e se tem uma coisa que me arrependo mortalmente foi de não ter conhecido o Chez Panisse quando estive na Califórnia. Sei lá o que me deu na cabeça, acabei focando no Keller e deixei passar a comida da Alice… como não adianta chorar o leite derramado, polianamente falando prefiro pensar que este é mais um excelente motivo (quase uma obrigação) para voltar à Califórnia. Na próxima não comeremos esta bola. Eu juro! :)

Mas voltando ao livro, taí um bom para ter à cabeceira. Começa com uma parte básica, com algumas lições e receitas que ela chama de alicerce de sua cozinha. No segundo capítulo entra nas receitas propriamente ditas, que são simples e didáticas, como é a proposta. Comidas para o dia a dia mas com aproveitamento perfeito dos ingredientes.

A parte referente à elaboração de menus, o que cozinhar, é um primor. Nela a autora descreve seu processo de criação e planejamento das refeições da semana, por onde começa, o que leva em consideração desde o momento das compras até a definição do que será servido no jantar de hoje e no almoço de amanhã. Me diverti acompanhando seu raciocínio… no fim, cozinheiro é tudo igual mesmo, só muda de endereço!

.. Fecho os olhos e me transporto para a cozinha da Alice, e parece que estou ao lado dela, que vai me ensinado passo a passo como cozinha, a razão de cada passo técnico, os segredinhos que tira da manga. Adoro livros de receitas assim, em que a gente apreende muito mais que os ingredientes e o momento de cada um ir pra panela. Gosto de entender o caminho percorrido pelo cozinheiro, suas razões, referências e gostos pessoais. Para mim, uma boa receita te leva a entender todo esse processo, pois é a partir dele que a gente vai além e pode somar nosso próprio conhecimento acumulado à receita alheia.

É desta maneira que Alice vai ensinando suas receitas, de maneira simples, didática, como aquela tia avó querida que te ensina uma receita de família. O Jamie Oliver (outro queridinho meu) também faz assim, e esta é uma das razões para eu gostar tanto dele.

Como já disse, é um ótimo livro para se ter na cabeceira, excelente presente para dar aos amigos que vão morar só, para os recém-casados… um livro básico, com um bocadinho de quase tudo que a gente precisa saber para meter as caras e dominar o jantar!