Praianas – crônicas de um fogão pequeno


Depois de nossas duas ultimas viagens a Paraty concluímos que, após 10 anos de idas e vindas, a cidade que elegemos como nosso porto alegre não nos queria mais. Ficamos sem chão, sem praia e sem o nosso entardecer favorito no Morro do Forte. Mas como portas fechadas via de regra carregam consigo janelas abertas, acabamos desembocando no Sahy pelas mãos de dois amigos queridos. A afinidade foi tanta, que desde o mês passado somos os felizes inquilinos de uma simpática casinha no morro, escondida no meio de um jardim lindo, há alguns metros do mar.

Quando assumimos a casa, minha primeira idéia (como não poderia deixar de ser) foi equipar a pequena cozinha, afinal de contas, eu não iria ficar ali cozinhando naquele fogãozinho 4 bocas em panelinhas mínimas.

Enquanto os equipamentos novos não chegam, comecei a me virar com o fogãozinho e as panelinhas disponíveis e por incrível que pareça, me encantei! Isso mesmo, depois de 9 anos cozinhando no meu Couraçado Dako velho de guerra e em panelas enormes, amei voltar a uma cozinha normal, com um fogão normal e panelas normais!

Baixou a nostalgia e me diverti às pampas cozinhando como eu cozinhava antes, na cozinha apertadinha, com outro timing, uma taça de vinho, um dedo de prosa e muitos beijinhos entre um preparo e outro. E no fim das contas, fico aqui me perguntando: como pude ficar longe disso tudo?

A empolgação foi tanta que resolvi abrir um espacinho aqui para contar as aventuras e receitas praianas. E como este finde foi produtivo (dias nublados = muita comida), segue uma primeira leva de receitinhas executadas em uma cozinha bucólica e cheia de bossa…

Bolo de chocolate recheado com doce de nozes

O segredo deste bolo é a qualidade do chocolate! Não é frescura não, faz toda a diferença usar um cacau 100% e de boa qualidade para a massa… e para a cobertura também, usei chocolate 70,4% da Callebaut – e não precisa ficar achando que custa uma fortuna porque não custa não –  um saco com 2,5k sai por R$ 80,00, ou seja, R$ 32,00 o quilo (1k de meio amargo da Garoto sai por R$ 29,80), e para uso domestico 2,5k dura uma eternidade…

Fiz um pão-de-ló de chocolate e depois de pronto fatiei a massa em 3 discos, cada um deles eu recheei com o doce de nozes: 1 lata de leite condensado, 100 g de nozes moídas, 1 colher de manteiga sem sal, 2 gemas e 1 colher de conhaque.

Para a cobertura uma ganache, que faço na proporção 1 para 1, ou seja, 200 g de creme de leite fresco para 200 g de chocolate – basta ferver o creme de leite e jogá-lo sobre o chocolate já picado, mexendo até ficar homogêneo.

Fusili com berinjela e calabresa

Se vc sabe onde comprar bons ingredientes, considere meio caminho andado para um bom prato! Este aí me custou pouco esforço!

No caminho para a praia passamos pela Padaria Italianinha, na Rua 13 de maio e compramos um pacote de fusili fresco e um pote da berinjela assada (que comemos metade com pão no primeiro dia) que juntou-se a uma lingüiça calabresa apimentada curada e virou prato principal.

Comece com 2 dentes de alho em cubos mínimos salteados no azeite, junte uma porção generosa de lâminas de calabresa curada… mais uma salteadinha, junte 2 tomates sem pele e sem semente cortados em cubos mínimos (concassé). Mais 3 minutinhos e junte a beringela. Ajuste o sal, finalize com folhas de salsinha e sirva com o fusili ao dente!

Por fim… Refogadinho de camarão com 4 pimentas

Comprei o camarão fresquinho na peixaria do Sahy, pedi para limparem à moda paulista (mantendo a casca mas retirando as vísceras e cabeça).

Salteie no azeite dois dentes de alho e laminas finas das pimentas dedo-de-moça, habanero, jalapeño e bode. Junte dois tomates concassé e por fim os camarões (por apenas 4 minutinhos), finalize com salsinha e cebolinha e sirva com arroz branco fresquinho e saladinha de verdes…

Esta última eu vou ficar devendo foto, confesso que nesta altura do campeonato comecei a achar muito freak fotografar cada prato que comíamos!