Ano da França no Brasil – Ratatouille à brasileira

Receitas que vão muito além da comida

Sugestão do mês

Você nem precisa repetir o caviar, que coroou a receita publicada no caderno Paladar, no jornal O Estado de S.Paulo, para continuar ouvindo “ulalá!” dos convidados. Vem da região de Provence um dos pratos mais tradicionais da França e que andava esquecido, não fosse um desenho animado batizado com o nome da iguaria. Com vocês, senhoras e senhores, monsiers e mademoiselles: o ratatouille, em versão legitimamente brasileira. É isso, saia do óbvio, transforme o trivial no variado!

Ratatouille à Brasileira

O que precisa? (4 porções)
6 jilós cortados em quatro no sentido do comprimento
4 mini berinjelas cortadas no sentido do comprimeto
4 mini abrobrinhas cortadas no sentido do comprimento
10 mini tomates-pêra cortados ao meio no sentido do comprimento
8 cebolinhas pérola inteiras
2 pimentas dedo-de-moça sem semente, cortadas em quatro, no sentido do comprimento
6 dentes de alho cortados em palitos
2 colheres (sopa) de folhas inteiras de salsinha
2 ramos de tomilho limão
4 colheres (sopa) de vinagre de vinho branco
8 colheres (sopa) de azeite de oliva
Sal e pimenta do reino moída na hora

O que eu faço com tudo isso?
Leve ao forno todos os ingredientes em um refratário coberto com papel alumínio, até os jilós estarem macios. Retire o alumínio, deixe reduzir o caldo até que os vegetais caramelizem levemente… Simples, assim, chérie!

E para beber?
Rataouille é um prato flexível. Se dá bem com mais de um tipo de vinho. Escolha entre tintos, brancos ou rosados. Isso mesmo, sem preconceito e sem complicação. Os tintos que mais combinam são os mais robustos. Se for um almoço num dia ensolarado, mesmo que frio você pode optar por brancos ou rosados, mas sempre secos.

Para variar
Você não sabe como servir o Ratatouille? Ele faz bonito de qualquer jeito: como prato principal levando arroz branco ou cuscuz como acompanhamento, ou de coadjuvante juntos com assados. Experimente prepará-lo de um dia para o outro para que o sabor dos ingredientes fique mais evidente. Você vai poder aproveitar mais tempo para zanzar pela sala no meio dos amigos com uma tacinha de vinho.

Para relaxar
Traga mais um pouquinho da França para dentro de casa – mesmo que seja só um “cheiro” de França. Dê um toque provençal, plante vasinhos com lavanda e coloque-os na entrada de sua casa. Além de receber seus convidados com um aroma delicado e relaxante, você ainda pode surpreender usando lavanda no preparo de diversos pratos. Isso mesmo, salpique em tortas doces e veja todo mundo bater palmas!

Para impressionar
Refeições temáticas ficam mais saborosas se o ambiente vestir a carapuça. Para o almoço, use uma toalha xadrez e louças coloridas no mesmo tom – abuse de azul, amarelo, cor de telha e mostarda. Se for jantar, dê um ar mais requintado com uma toalha branca. Flores e velas arrematam o astral, mas evite as muito perfumadas, que interferem no aroma dos alimentos.

Para comentar
O palito – ele mesmo, o mal afamado e banido de todas as salas de jantar mais respeitáveis – já teve seu lugar de honra na hora das refeições. Na Europa dos séculos XVI e XVII, todo mundo tinha um para chamar de seu. Entalhado em ouro, cheio de pedras preciosas, era um símbolo de elegância para terminar o jantar. Hoje, só trancado no banheiro com as luzes apagadas, diria uma socialite.

Consultoria: Letícia Massula, cozinhadamatilde.blogspot.com
Foto: Cleiby Trevisan