Robalo com farofa de pão e limão siciliano + fettuccine de abobrinha e cenoura

Essa receitinha aqui me pediram para uma revista. Fiz, fotografei, enviei e nunca mais tive notícias de quem me pediu… não sei se foi publicada ou não e na dúvida resolvi compartilhar aqui hoje, justo na véspera do feriadão porque é uma ótima pedida, muito fácil de fazer e deliciosa.

A farofa de pão é um dos meus acompanhamentos coringa, fica bem não só com peixes, mas também com carnes e aves. E para quem quer variar, experimente substituir o limão siciliano por tangerina e o tomilho por alecrim… eu garanto: fica uma delícia também!

E para quem está fazendo dieta, fica a dica, esse fettuccine de legumes com um molhinho de tomate é perfeito para um jantar pouco calórico e muito gostoso!

 

 

 

O que me encanta na comida mediterrânea é que ela eleva a outros patamares a elegância contida na simplicidade. Há muito que os povos que vivem às margens do Mediterrâneo sabem que menos é mais e que para um prato perfeito bastam bons ingredientes locais.  Como esse robalo, com abobrinha e farofa de pão, execução simples e sabores delicados!

Ingredientes (2 porções)

  • 2 postas de robalo
  • 1 abobrinha italiana e 1 cenoura fatiadas em fios com uma mandoline de mão ou cortadas à julienne;
  • 1 dente de alho brunoise;
  • 1 colher (sopa) de folhas de tomilho;
  • 1 pimenta dedo de moça brunoise sem semente;
  • 1/2 limão siciliano (raspas + rodelas);
  • 1 xícara de pão italiano torrado ralado grosso;
  • Azeite extra virgem, flor de sal e pimenta do reino moída na hora.

Modo de fazer

Peixe – Tempere o peixe com sal e pimenta do reino; Aqueça uma frigideira antiaderente e doure os dois lados (aprox. 2 min. cada lado). Reserve.

Fettuccine – Sue o alho em azeite, junte os fettuccines e salteie até mudarem de cor. Ajuste o sal e a pimenta. Reserve.

Farofa – Doure as rodelas de limão (reserve). Salteie a farinha de pão no azeite com as raspas do limão. Acrescente as rodelas de limão, a dedo de moça e o tomilho. Ajuste o sal.

Montagem – Em uma frigideira antiaderente disponha o fettuccine, sobre ele o peixe e polvilhe com a farofa de pão.

Harmoniza com… por Marcelo Pedro (no copo) e Marina Novaes (na Pick’up)

Dona Marina Novaes chique da Silva está na Bélgica em uma reunião sobre gênero e imigração e não pode fazer a harmonização hoje, mas na sexta tem uma Vitrolinha super especial que ele preparou durante as férias. Semana que vem ela volta às harmonizações.

Como este é o post de volta das férias, vou aproveitar a descoberta que fiz na festa de um ano do restaurante Chef Vivi, da querida e premiada amiga chef revelação de 2012, Viviane Gonçalves. Voltamos um dia antes das férias na praia para curtir a festa de um ano do restô.

Ao chegarmos, fomos brindados pela Poliana S. Pinto, sócia da Vivi, fotógrafa e enófila, com uma taça de um delicioso vinho branco húngaro, da mais típica casta daquele país, a Tokaj. Calma, não era um vinho de sobremesa! Apesar desta uva húngara ser famosa pelos maravilhosos vinhos doces de sobremesa, tratava-se de um vinho branco super seco, refrescante, bem mineral, com pouco perfume, quase nada frutado.

Alias, nem eu nem a Léti somos fãs de brancos perfumados e frutados. Também por isto, vai super bem com um prato sutil e leve, como o peixe da receita de hoje. Tem ótima acidez para acompanhar a equilibrada untuosidade do robalo.

O vinho escolhido pela Poli ainda tinha um nome muito peculiar, apropriado para a celebração dos pratos do Chef Vivi: Oremus!  Sério, não é troça. O vinho húngaro chama-se Oremus Tokaj Furmint seco Mandolás, empreendimento da bodega espanhola Vega Sicília na Hungria. O que tomamos era da safra 2009, e além das qualidades gustolfativas, ainda tinha uma linda cor dourada clara. Oremos irmãos!

A pirítós az egészségre! (Um brinde a sua saúde, em húngaro é claro).