Site da Brastemp: sopas – Shake no Ochazuque

Brastemp apresenta:Receitas que vão muito além da comida

Você sabe que os japoneses fazem quando acordam com muita fome? Ou quando abusam do saque e ficam para lá de Bagdá? Comem ochazuke. Que? Isso mesmo, uma sopa altamente nutritiva feita com arroz e chá verde. E como os japoneses também gostam de sair do óbvio, cada um mistura na sua mistura o que dá na cabeça. Uns colocam salmão, outros colocam algas e por aí vai. É ao gosto do japonês. E uma coisa nós temos certeza, o ochazuke que preparamos para você, vai fazê-lo lamber o potinho de sopa até o final.


Sugestão do mês

Shake* no Ochazuque (rende 1 porção)

O que precisa?
1 xícara (chá) de arroz japonês
1 xícara (chá) de chá verde quente
1 colher (sopa) de arare (crispi de arroz japonês)**
1 colher (sopa) de alga cortada em fatias finas**
1 posta de salmão
1 colher (sopa) de cebolinha verde fatiada
Wasabi a gosto

E o que eu faço com isso agora?
Primeiro cozinhe o arroz em água e sal, passe pelo escorredor para eliminar a água do cozimento. Reserve. Unte uma frigideira antiaderente com óleo de gergelim e grelhe o Salmão (3 minutos de cada lado). Em uma cumbuca japonesa, coloque o arroz, sobre ele o salmão grelhado, o arare, nori, cebolinha verde e wasabi. Regue com o chá verde quente. Sirva imediatamente.

* Salmão
** em empórios japoneses você pode encontrar misturas prontas para ochazuque com arare e nori

Para variar
Você pode acrescentar outras coberturas para seu ochazuque, entre elas, umeboshi (ameixa salgada em conserva), daikon (conversa de nabo), tsukemono (picles japonês) sementes de gergelim torrada, flocos de bonito defumado, peixe branco, atum… Saia do óbvio e dê asas a sua imaginação!

Para não escorregar na etiqueta
Com o ochazuke, você vai usar as duas mãos para beber o líquido, mas precisa de talheres para comer a parte sólida. Você pode oferecer garfo e faca para os amigos menos jeitosos, que só se atrapalham com o hashi. Afinal, a gente nasceu do lado de cá do mundo. Mas você pode dar uma mãozinha para os que precisam de dicas para usar o hashi. Segure sempre do meio para cima, nunca na parte inferior. Nem pense em chupar a ponta do hashi, como se fosse um talher tradicional. Quando não estiver comendo, descanse o hashi e não fique gesticulando com eles na mão – apontar o hashi para alguém é mais ou menos como palitar os dentes. Ou seja, total falta de educação.

Para se dar bem
Sabe aquela toalhinha branca que você recebe nos restaurantes japoneses? Você pode fazer o mesmo em casa para deixar a recepção ainda mais calorosa. Coloque na água quente um pouquinho de amaciante, o cheirinho vai desacelerar o mais acelerado e deixar os convidados cheios de apetite. No Japão, para você ter uma ideia, a toalhinha é usada antes da refeição para limpar o rosto inteiro. Que tal seguir a tradição de lá?

E para beber?
Você já vai beber por tabela o tradicional chá verde usado no preparo da sopa. E também está careca de saber o que é saquê. Então, vamos sair do óbvio e experimentar algo diferente? Bem, pelo menos diferente para os ocidentais. Sirva shochu – a pronúncia é chô-tchu. Essa bebida, conhecida como vodca japonesa, pode ser destilada a partir de vários ingredientes, como batata doce, milho, beterraba, arroz, açúcar mascavo, cana e etc. Desde 2003 já temos a nossa versão nacional, produzida em Mogi das Cruzes, interior de São Paulo, feita com mandioca orgânica. É o legítimo shochu brasileiro. A gente não é mole, não, hein?

Consultoria: Letícia Massula, cozinhadamatilde.blogspot.com