Vitrolinha – Bendita Festa!

Conversando com o Theo Werneck sobre a vida de DJ, ele me falou que eu precisava conhecer as DJs Benditas. Isso foi em 2009, e na verdade sempre quis ir, na Bendita Festa, mas nunca me organizei. Só sabia que era uma festa que rolava desde 2005, e a referência que eu tinha é que era naquela complicada R. Do Bosque na Barra Funda.

Este ano, o Will foi dar uma entrevista para o podcast do Uia Diário, junto com a Paula Pretta e a Adriana Pires, do Fulerô o Esquema. A Bob, minha maior companheira do mundo materno, falou que tinha ouvido a entrevista e que adorava as meninas que produziam o programa.

Até que um dia, numa cervejada no Fuad, organizado pela Bob, conheci a Ana Carmo. Já no carro, indo embora, perguntei pro Will “esta Ana Carmo não é do Uia Diário? Da Bendita Festa?” Ele disse que sim.

E eu estava uns 2 meses sem tocar, morrendo de vontade, mandei um email na maior cara de pau: Oi Ana, blablablablabla. (….) e tô a fim de tocar, se rolar, me dá um toque? beijo tchau”.

Eis que ela responde: “então manda alguma coisa sua pra eu ouvir”. E eu super por fora: “eu não tenho nada… mas escrevo no cozinhadamatilde, toquei tantos anos em tal lugar, toquei em tais festas”, fazendo a propaganda.

Um tempo depois perguntou, “então vc quer tocar um pouquinho dia 18 de agosto, dividir com um DJ convidado e o, que Theo é o DJ residente?” Óbvio que aceitei!

No dia, cheguei um pouco mais cedo, porque eu queria aproveitar, pois sempre quis ir na festa, e logo a Alice Coutinho, a outra Bendita, falou que o outro DJ  convidado não tinha chegado, se eu poderia trocar com ele meu horário.

Eis que 5 minutos antes de eu entrar o Theo me pergunta se eu não assumiria o horário do outro DJ e tocava 2 horas, ao invés de 1 hora. Yay, fiquei super feliz, e de cara lancei o groove de Clariô da Gal Costa.

Estava num clima Jorge Maravilha, e coloquei a versão original do Chico Buarque, não o samba rock que eu sempre toco com o  Samba Groove. (Aliás, pesquisando sobre esta música (já que eu estava no clima Jorge Maravilha) descobri que o Chico não fez esta musica pensando na filha do Geisel, mas ele deixou correr o boato)

Lembro de ter tocado Todos estão surdos, do Roberto Carlos

Saúde, da Rita Lee

E também Pra Aquietar, do Luiz Melodia.

Depois de Disritmia, do Martinho da Vila (que eu sempre quero dançar, por isso que eu toco tanto), foi o auge da festa:

Mandei AGEPE! Dançando de mãos para cima enquanto cantava “Deeeeeixa eu te amar! Faz de conta que eu sou o primeeeiro!”

outra que não faltou foi The TIde is High, do Blondie

e Blister in the Sun, do Violent Femmes

A ordem eu não lembro muito bem, mas foi muito bacana! A medida que a galera dançava, ia me dando vontade de colocar uma música mais legal. E quando acabava esta, eu queria superar aquela. E o resultado foi muito delicia! A galera S-U-O-U!

Eis que em novembro a Ana me manda um email dizendo que eles me escolheram como uma d@s 4 melhores DJs convidados do ano, e se eu não podia tocar dia 15 de dezembro. Eeeeeeeeeeee!

Agora, recém completados 34 anos, vou com a minha versão PlusAdvanced, neste Sábado, 15 de dezembro na Livraria da Esquina (Rua do Bosque, 1254). Eu toco as 2h, mas quero dançar com os DJs TheoWerneck, Barbara de Paula, Neomisia Silvestre e Pedro Pinhel.

Vamos?

Só sei que vou começar com Uh uh uh la la la ie ie do Pato Fu

E como resolução 2013, vou ter um podcast!! (demorou, eu sei!)