Vitrolinha – em busca da minha festa perfeita

O meu encontro com a Dad foi uma coisa meio mágica. Estava discotecando no Diquinta e ela com um grupo de amigos ficou do meu lado, um pouco deslocada, já que a média de idade dos frequentadores desta balada é de 20 e poucos anos. Eu coloquei uma salsa, ela pediu para por o copo da bebida na cabine e logo ela puxou um cara pra dançar, e arrasaram na pista de dança. No final da música, eu elogiei a sua tiara, com uma mega flor e ela respondeu: “Gostou? Então é um presente”. E seguimos conversando a noite toda e trocamos telefone.

No dia seguinte falei para o Will: “amor, ontem conheci a minha melhor amiga 2009”. E assim foi, nos encontramos para uma reunião de trabalho para um projeto que é o meu sonho de vida, que ainda não aconteceu, então não posso falar, senão não dá certo. Depois a convidei para um Bailinho que o Will tocou, e pronto, o amor não parou de crescer.

Como ela tem uma agência, a Gota  que faz eventos entre outras coisitas, vira e mexe ela me chama para tocar, ou fazer uma playlist..

E foi assim semana passada. Ela me ligou no meio da semana, falando que a agência tinha mudado de endereço, e que eles iam fazer uma festa, assim, sem muita explicação, e se eu topava animar. Olha, confesso que pensei bem, pois atravessar a cidade para chegar no Morumbi às 20h em uma sexta feira é osso, mas topei. AINDA BEM!

A festa ia ter primeiro a participação da Zezé, uma super cantora. Mas o pessoal não se empolgou. Entrei em ação, e fui mandando só pedrada, Clara Nunes, Alcione, Jorge Ben, Marvin Gaye e nada. Pensei: putz, to numa festa careta, ninguém vai dançar. Aí, poxa, como  ninguém ia dançar mesmo, comecei a colocar umas músicas que eu tava a fim de dançar. Mexi no meu case, e  BANG, coloquei minha preferida do Michael Jackson: Wanna Be Startin’ Somethin’. Começou um amontoado de pessoas na pista, e eu pirando no Ma Ma Se, Ma Ma Sa, Ma Ma Coo Sa, Ma Ma Se, Ma Ma Sa,
Ma Ma Coo Sa.

Depois coloquei Heart of Glass do Blondie, a música com a paradinha mais legal do rock and roll. E as pessoas foram chegando.

Na sequencia Talking Heads, com Burning Down the House. Como eu gosto daquela introdução Waaaaaaatch out, you might get what you’re after. 

Tirei da manga o Walk Like an Egyptian, do Bangles, e ouvi lá no fundo um aaaaaaaaaaaaaaaaaa! E veio um cara beijar a minha mão.

Não tive dúvida da próxima e fui sem pestanejar de Freedom 90´ do George Michael. Pronto, estava todo mundo na pista, levantando as mãos para cima e cantando: “All we have to do now/ Is take these lies/ and make them true somehow/ All we have to see/ Is that I don’t belong to you/ And you don’t belong to me yeah yeah/ Freedom!”

Saquei You Don’t Love Me (No, No, No), da Dawn Penn, com direito a um airdrums, imitando a baqueta da bateria. Que quem conhece sempre vai lá me agradecer por tocar. Depois Superstition do Stevie Wonder, Get Down Tonight do KC and The Sunshine Band, Cannonball do Breeders, This Fire do Franz Ferdinand, Blue Monday do New Order e por aí foi…

Quando percebi, a festa toda estava dançando. E suando. Eu mesma estava pingando. O Dani, dono da agencia pediu para acabar, para não ter encrenca com os vizinhos do Corpo de Bombeiros, mas o pessoal negociou a saideira.

Olhei para a Dad, dei uma piscadinha e soltei É Hoje, do Caetano Veloso. Aí eu tirei o fone de ouvido e fui para a pista dançar.

No carro, na volta, fiquei pensando: se fosse uma festa minha, eu teria que falar pro/a DJ que estas músicas não poderiam faltar.  Que legal, a festa seria um sucesso!

Michael Jackson – Wanna Be Startin’ Somethin’

Blondie – Heart Of Glass

Talking Heads – Burning Down the House

Bangles – Walk Like an Egyptian

George Michael – Freedom! ’90

Dawn Penn – You Don’t Love Me (No, No, No)

Stevie Wonder – Superstition

‪KC & The Sunshine Band‪ – Get Down Tonight‬

The Breeders – Cannonball

Franz Ferdinand – This Fire

New Order – Blue Monday (super clipe, aliás)

Caetano Veloso – É Hoje