Na Cabeceira 30 – Banquetes Intermináveis

Banquetes Intermináveis – os melhores textos da revista Gourmet selecionados por Ruth Reichl

Editora DBA

Esse livro é uma delícia. Organizado pela Ruth Reichl, à época editora da revista Gourmet, e com prefácio de Nina Horta para a edição brasileira, traz um apanhado dos melhores artigos publicados pela revista em seus 60 anos de existência. Difícil é escolher os melhores.

Logo no primeiro capítulo as viagens dos repórteres da revista pelo mundo… a gente pega carona e experimenta uma truta fresquíssima servida em um estalagem na Suíça, observa a cena gastronômica parisiense logo após a segunda guerra, lá pelas tantas se pega como uma criança com o nariz colado na vitrine da famosa confeitaria Demel, em Viena, ou com água na boca só de pensar na comida thai em 1950, quando a Tailândia ainda era o reino do Sião…

Daí para a cena americana e a descrição de um vigoroso desjejum dos trabalhadores braçais do Maine, no leste profundo americano… descrita “como a melodia de uma gaita de foles que chama o escocês corajoso para a guerra”.

No capítulo dedicado às personalidades da gourmet, me deliciei com o artigo sobre Escoffier, que ao fim narra um dia de sua rotina quando comandava a cozinha do Hotel Carlton, em Londres. Me deixei levar por ele em uma caminhada pelas ruas londrinas em um fim de tarde, horário em que costumava visitar vários de seus fornecedores.

O último capítulo “Sobre comidas e receitas” traz várias excelentes receitas, mas o que me chamou mesmo atenção foi um dos artigos, de 1955, todo dedicado ao preparo do tutano… aí bateu fundo no meu coraçãozinho… confesso que emocionei!

Pura comida para a alma, e não é qualquer comidinha não, verdadeiros banquetes!