Praianas – Churrasco de camarão com cogumelos e abóbora assada

Acho que já deu para perceber que a gente faz muito churrasco na praia. É que é muito mais prático acender a churrasqueira e fazer a comida ali, do que sujar inúmeras panelas para sair uma comidinha gostosa do fogão… e na praia o que a gente quer mesmo é ficar de papo pro ar, sem compromisso (especialmente com a pia).

Fora que em volta da churrasqueira todo mundo se reúne e a prosa rende enquanto a comida fica pronta, já na cozinha pequena rola uma solidão danada da cozinheira.

E para completar, adoro o cheirinho de churrasco no fim da tarde, misturado com a maresia… sentiu aí?!

E como a gente está na praia, acabamos fazendo muitos churrascos de peixe e frutos do mar em lugar de carne, em especial quando estamos recebendo amig@s “peixetarian@s” como a Marinits ou a Mariana Salles, que estava nos visitando quando fizemos esses camarões e cogumelos na grelha, que ficaram no ponto certo e perfeitos para acompanhar a abóbora assada e a saladinha de endívias que servi junto.

E depois desse churras delicioso tudo que a gente quer da vida é uma rede prá se encostar ou qualquer canto com vista privilegiada para o pôr do sol no mar…

Bom apetite e carpe diem!

Esse churras aqui rola sempre que a gente encontra camarões frescos e com bom preço, mas também pode ser feito com lula, lagostim, vieiras, peixe… todos eles ficam perfeitos com esse molhinho de ervas, cítricos e azeite. E é muito simples de fazer, basta preparar o molho em um bowl e à medida que for retirando os camarões da grelha basta passá-los pelo molho.

O segredinho é não exagerar no alho (que será usado crú e portanto pode ficar muito forte), nem no suco dos cítricos, bastam algumas gotas. O sabor mesmo fica por conta das raspas e das ervinhas frescas que podem ser utilizadas ao gosto do freguês.

Eu gosto muito da mistura do tomilho limão+hortelã+cebolinha verde, mas faço com o que tenho à mão: manjericão, salsinha, coentro, funcho… só não curto mesmo alecrim, que acho “exibido” demais e danado para roubar o gosto de ingredientes delicados como frutos do mar.

Ingredientes – 4 porções

Camarões

  •  24 camarões médios com casca (limpar fazendo um corte na casca para retirar a barrigada)
  • 1 pimenta dedo de moça em lâminas
  • raspas de uma laranja
  • raspas de um limão tahiti
  • 1 colher (sopa) de folhinhas de tomilho limão
  • 2 colheres (sopa) de cebolinha verde fatiada finamente
  • 1 colher (sopa) de hortelã fatiado finamente
  • 1 colher (sopa) de salsinha fatiada finamente
  • 1 colher (chá) de suco de laranja
  • 1 colher (café) de suco de limão
  • 3 colheres (sopa) de azeite extra virgem
  • sal e pimenta do reino moída na hora

Cogumelos

  • 8 a 10 cogumelos portobelo
  • azeite extra virgem, flor de sal e pimenta do reino moída na hora

Abóbora assada

  • 1/2 abóbora cabotiá cortada em gomos com a casca
  • galinhos de tomilho limão
  • azeite de oliva e sal à gosto

Modo de fazer

Camarões

Misture todos os ingredientes da marinada em um bowl. Ajuste o sal. Reserve.

Seque cada um dos camarões com papel toalha. Salpique com sal.

Disponha-os sobre a grelha quente da churrasqueira por um minuto de cada lado. Retire-os da grelha e transfira diretamente para o bowl da marinada, misturando delicadamente até que todos os camarões fiquem cobertos com o tempero. Sirva imediatamente.

Cogumelos

Limpe os cogumelos com papel toalha tirando toda a sujeira e eventuais resíduos de terra.

Atenção: cogumelos nunca devem ser lavados, pois funcionam como uma esponja e encharcam, perdendo sabor e textura.

Leve-os à grelha quente salpicados apenas com sal por aproximadamente 10 minutos.

Retire-os da grelha e regue com azeite. Sirva imediatamente.

Abóbora

Disponha as abóboras em uma assadeira, salpique com o tomilho, sal e regue com azeite. Leve ao forno pré aquecido até que fique macia.

Sirva os camarões com a abóbora, os cogumelos e a saladinha de endívia temperada com azeite e flor de sal!

Harmoniza com… pro Marcelo Pedro (No copo) e Marina Novaes (Na Pick’up)

Na praia temos experimentado vários tipos de cervejas, muitas importadas, mais especiais. Sinal da idade, faz tempo que troquei quantidade por qualidade. Na verdade nao vejo mais muita graça nas pilsenzinhas brazucas. Portanto, vou sugerir 2 cervejas, uma belga e uma alemã. Pra fazer frente aos sabores do molho dos camarões, e sua deliciosa gordura natural, a primeira opção seria uma golden strong ale belga, a Duvel. Com alto teor alcoólico de 8,5%,  intenso aroma de lúpulo, toques frutados, espuma densa e uma linda cor amarelo dourada, complementa muito bem a receita de hoje. Tem sido uma das minhas cervejas favoritas lá no Sahy, e por ser mais alcoólica e encorpada é bastante apropriada para ser degustada durante uma refeição, com calma e tranquilidade, saboreando do inicio a o fim, sem pressa.

Agora, se você prefere uma cerveja mais leve, menos alcoólica, mais adequada para um dia quente, sugiro uma Heffeweissbeer alemã, a Weihenstephaner. É uma cerveja de trigo, com sua turbidez caracteristica, aroma intenso de leveduras e sabor de banana, com 5,4% de álcool, bastante leve e refrescante, sem perder personalidade. Prost!

 

Para este cheiro de maresia com um churrasquinho de camarões eu já imagino uma clássica levada de guitarra com aquela virada de caixa que vai desaguar num reggae. Com essa pegada tropical, The Love I Need, do Jimmy Cliff fecha esse cenário.

Jimmy Cliff destoava um pouco de seus compatriotas jamaicanos pela religião, pois era devoto do islamismo, e suas músicas tinham bem menos cunho político do que as do Wailers, por exemplo.  Mas foi um dos que abriram as portas do reggae pela Europa, com o filme The Harder They Come (1972).

Reggae Night é sucesso em qualquer pista e I Can See Clearly Now tem tanto sua cara que tem gente que nem imagina que ela é do Johnny Nash.

Ele já perambulou muito pelo Brasil, excursionando com Gilberto Gil,  fazendo participações em discos do Cidade Negra, Titãs, Olodum. Deve ser por isso que ele tem um pouco de MPB em suas canções.

Para dar aquela descansada no fim da tarde, coloque Never Say Goodbye. Mas com o (hmmm), Isaac Hayes. Esta música tem versões incríveis com o Jackson 5 (gravada originalmente), Gloria Gaynor (versão super pista) e uma com Olivia Ong   (uma chinesa que fez uma versão bossa nova). Mas para mim a do Isaac Hayes é imbatível. Hayes é Soul. Ponto.

Estadunidense, morreu em 2008.  Foi ele quem compôs Soul Man, imortalizada por James Brown. E ele também fez a trilha do filme Shaft (1971), que ganhou o Oscar por “Theme from Shaft”. Ganhou alguns Grammys também. Quando se fala no gênero de cinema blaxploitation, são as canções dele que me vem a cabeça.

E ele foi a voz do Chef do South Park, meu personagem preferido do desenho, que trabalhava na escola e ficava dando conselhos um tanto lascivos para aqueles moleques.

Eu, depois dessa comilança, estenderia a canga na praia, colocaria o fone de ouvido e aumentaria o som do Ipod para ouvir o Hayes. E celebrando.