O curry das meninas – Curry verde de carne com abóbora

No meu aniversário a gente estava junto fazendo massa, no da Gabi não podia ser diferente: a gente tinha que estar junto, cozinhando e fotografando! Só que desta vez o prato do dia foi um curry thai, que ela adora.


E ainda teve mais, Dona Joanona, Lúcia Freitas, se juntou à dupla e o que era almoço virou festerê! Só faltou mesmo Marinits para discotecar a parada. Falamos sem parar por quase 3 horas e neste meio tempo preparamos, fotografamos e devoramos muita comida.

Além do curry, a Lúcia preparou um capelini ao limone para a Gabi fotografar. A Gabi queria uma prova documental para colocarmos em nossos blogs de que o “world famous” limone da Matilde era de fato fácil de fazer, e chamou dona joanona para fazer ao vivo, diante das cameras. A prova está aí, como você pode ver e eu provei (ou melhor, caí feito uma louca sobre a travessa) e aprovei!

Depois do aperitivo que foi a tigela de limone, passei a execução do curry, que escolhi para fazer neste dia não só porque a Gabi adora, mas também porque acho uma receita incrível e para aproveitar a minha primeira colheita de galanga (o gengibre thailandês) no quintal da Matilde.


É isso aí, os primeiros galangas que colhi em casa – de uma muda que ganhei de uma amiga há 3 anos – nem eu acredito.

Galanga é um ingrediente raro por aqui, para ter uma idéia essa é a segunda vez que tenho contato com um fresco, a primeira foi lá em Paraty, no Thai Brasil (que já recomendei por aqui). Sempre substituí pelo gengibre comum, já que o galanga seco que é encontrado nos empórios da Liberdade é muito ruim, quase não tem gosto. Já o fresco é puro perfume, uma explosão inenarável de sabor.

Sim, estou encantada, apaixonada, por meu galanga, meu galangueiro! :)

Escolhi um curry verde para fazer com esta primeira leva porque adoro os currys thailandeses e porque são muito fáceis de fazer. É uma comidinha que sempre faço em causa própria, e se você parar para pensar, vai ver que não passa de um ensopadinho de carne e leite de coco, com legumes, temperada com a pasta de curry que é uma mistura de temperos característica da Thailândia.

Mas a decisão final ficou mesmo por conta da Gabi adorar currys (é casada com um cingalês!),  juntou a fome com a vontade de comer, uma comidinha gostosa, caseira, mais aconchegante impossível, perfeita para um dia entre amigas! E viva Gabizita!

O curry na verdade é uma pasta feita a partir de uma série de ingredientes aromáticos, pode ser verde, vermelho, amarelo e ainda tem o masaman, o hanglay e o penang. Eu em geral faço o verde e o vermelho que são os mais comuns. Você encontra pastas de curry prontas para vender no bairro da Liberdade, aqui em São Paulo, mas eu prefiro fazer a minha própria pasta, já disse aqui que não uso tempero industrializado, regra que vale para os currys.

É muito fácil de fazer, lembra o pesto, só que com mais ingredientes. Você coloca tudo no almofarriz ou passa no processador e pronto.

Para acompanhar esta pasta de curry verde eu fiz iscas de carne e juntei abóbora cabochá que super combina, juntei também uns cogumelos que tinha por aqui. Mas via de regra faço com jiló. Isso mesmo, meu legume mais queridinho é muito usado na Thailandia!

O acompanhamento perfeito para um curry é arroz thai jasmine, delicioso grão longo com aroma de jasmin, que deve ser cozido como macarrão em água abundante, com sal, até ficar ao dente (cerca de 8 minutos), depois escorrido para ser servido puro, de maneira a destacar seu aroma que casa perfeitamente com a intensidade do curry.

Ficou com vontade? Segue a receita:

Carne ao curry verde thai com abóbora e cogumelos

Ingredientes

500 g de iscas de carne de vaca (alcatra, contra filé ou maminha)

2 xícaras cheias de abobora cabochá cortada em lâminas finas

2 xícaras de leite de coco

1 xícara cheia de cogumleo paris ou shitake em lâminas

1 colher (sopa) cheia de pasta de curry verde

1 colher (sobremesa) de galanga fatiado

2 colheres (sopa) de nampla (molho de peixe thailandes, que vc encontra em empórios do bairro da Liberdade em São Paulo)

2 colheres (sopa) de óleo de amendoin

Pasta de curry verde

1 xícara (chá) de pimenta malagueta verde – yes, it’s really hot!!!

5 colheres (sopa) de capim limão fatiado

10 colheres (sopa) da parte branca da cebolinha verde fatiada

10 colheres (sopa) de alho fatiado

5 colheres (sopa) de galanga fatiado

5 colheres (sopa) de raízes de coentro fatiadas

2 colheres (sopa) de sementes de coentro

1 colheres (sopa) de sementes de cominho

1 colheres (sopa) de pimenta preta em grãos

2 colheres (sopa) de folhas de lima kaffir (eu substituo por folhas de limão)

4 colheres (sopa) de pasta de camarão (que vc encontra em empórios do bairro da Liberdade, em São Paulo)

1 colher (sopa) de açucar de palma que pode ser substituído pelo açucar mascavo (e que vc encontra em empórios do bairro da Liberdade, em São Paulo)

Modo de fazer

Eu dou uma subvertida no modo de fazer curry. Na Thailandia eles começam pelo leite de coco com a pasta de curry e então colocam a carne crua para cozinhar no molho direto, sem uma selada prévia… eu gosto de dar uma selada antes de começar.

Pasta de curry

Junte todos os ingredientes em um almofarriz ou no processador e bata-os até obter uma pasta.

Curry de carne

Em uma wok previamente aquecida e em fogo alto junte o óleo de amendoin, o galanga fatiadinho e uma pitada de sal. Deixe o gengibre suar.

Junte a carne e mexa até que doure por igual. Junte os cogumelos e misture-os com a carne por aproximadamente 2 minutos.

Junte à carne e ao cogumelo 1 colher cheia de pasta de curry verde. Misture bem.

Junte o leite de coco e a abóbora e deixe cozinhar até a abóbora estar ao dente (+ ou – 5 minutos depois de ferver).

Finalize com o nampla.

Ajuste o sal e está pronto.

Fica bacana servir com uma guarnição de folhas de manjericão, cebolinha verde laminada e folhas de coentro.

Harmoniza com… por Marina Novaes (na Pick’up ) e Marcelo Pedro (no Copo)

Galang
Artista: M.I.A.
Disco: Arular

M.I.A., (ou Mathangi “Maya” Arulpragasam), é uma cantora inglesa descendente de cingaleses, que estourou em 2005, misturando hip-hop, reggae, rock alternativo e funk carioca em suas músicas engajadas e de cunho político. “Descoladamente”, suas críticas são endereçadas a opressão, principalmente as passadas pelos palestinos, negros e tâmeis (grupo nativo de Tamil Nadu, região nordeste do Sri Lanka).

A música harmoniza com o curry verde de carne e abóbora, por dois motivos: o primeiro  em homenagem a recém colheita de galanga da horta da Matilde. O segundo, é que a Gabi, a super homenageada, combina perfeitamente com as influências do Sri Lanka! ♥ ♥ ♥ ♥ ♥
Obs: piadinhas a parte, “Galang”, título da música significa “continue”, no dialeto jamaicano.

 

 

Minha sugestão é a cerveja Colorado Indica, da cervejaria Colorado de Ribeirão Preto.

É uma India Pale Ale, tipica cerveja inglesa, criada no século XVIII para os soldados de Sua Majestadade nas colônias, onde o calor e a falta de condições adequadas de estocagem – temperatura baixa, ambiente seco – e o transporte por longas distâncias, fez com que os mestres cervejeiros britânicos desenvolvessem uma cerveja mais resistente. Por isso, as India Pale Ale têm teor alcoólico um pouco mais elevado (por volta de 7%) e maior concentração de lúpulo, que atuam como conservantes naturais. Além disso, a utilização de maltes torrados proporciona uma cor mais escura, acastanhada, além de um amargor mais marcante, junto com o amargor do lúpulo.

A versão da Colorado ainda leva rapadura, que confere perfume e sabor adocicado, na medida certa para se contrapor ao amargo. É uma cerveja muito aromática, que tem potência suficiente para se harmonizar muito bem com pratos de sabor intenso, condimentados e aromáticos, como os currys tailandeses e indianos. E de quebra, a Colorado Indica foi super premiada, com três estrelas no Pocket Beer Book, do crítico Michael Jackson, considerado o guia Michelin das cervejas.