Vinho quente

Prá mim, e acredito que para muita gente, inverno tem cheiro de vinho quente. Pouca coisa conforta tanto como o aroma de especiarias, caramelo, frutas e vinho espalhados pelo ar em um dia frio de inverno. É um preparo que a gente gosta antes mesmo de experimentar. Ama pelo cheiro. Um sedutor que intima a gostar dele, joga pesado e abraça nossos sentidos em um momento de desconforto e pés gelados!

Com o friozinho se instalando, eu fiquei com vontade fazer e postar minha receita de vinho quente aqui, e como sincronicidade é tudo, a Bia Perotti do Achados da Bia propôs de fazermos uma postagem dupla (aqui e lá) sobre vinho quente e frio.  O frio, com a receita de sangria do Marcelo, você confere lá no Achados da Bia e por aqui você se aquece com a minha receita de vinho quente que também é uma ótima pedida para tomar juntinho no dia dos namorados!

Adoro quando a casa está invadida pelo aroma de vinho quente. Fecho portas e janelas para guardar por mais tempo a mágica. Fico curtindo o calorzinho que vem de dentro e toma conta de tudo, transforma o clima da casa e das pessoas.

E para fazer essa mágica não é preciso muito esforço, é um preparo bem simples. Parte de um caramelo com especiarias que se junto ao vinho e frutas picadinhas, aí basta esperar o álcool evaporar e está pronto.

Ingredientes

  • 1 garrafa (750 ml) de vinho tinto seco de boa qualidade
  • 1 xícara de açucar mascavo
  • 1 maça em cubinhos
  • 1 ameixa em gomos
  • casca de 1 laranja
  • casca de 1/2 limão
  • 1 pedaço de canela
  • 6 cravos da índia
  • 2 pimentas jamaica
  • 2 cardamomos
  • 3 grãos de pimenta preta

Modo de fazer

Derreta o açúcar em uma panela de fundo grosso em fogo baixo. Quando o açúcar derreter e virar caramelo junte as especiarias, as cascas e a pitada de sal.

Acrescente o vinho. O caramelo irá endurecer imediatamente e depois começará a derreter no vinho.

Deixe ferver até todo o caramelo derreter. Junte as frutas e deixe cozinhar por mais um minuto.

Saúde!

Harmoniza com… por Marina Novaes nas Pick’ups

Hoje por se tratar de uma bebida, a harmonização é apenas da Marina.


Vinho quente não tem como não associar a festa junina. E pensar em festa junina, junto com a fogueira, as bandeirinhas, a paçoca e o chapéu de palha, a trilha sonora que vem à mente inclui sanfona, zabumba e triângulo.

E este trio remete a inventiva figura de Luiz Gonzaga, o Rei do Baião, a Majestade do Baião, o Embaixador Sonoro do Sertão, Velho Lua, Bico de Aço, Lula, Pernambuco ou Gonzagão.

Pode parecer óbvia a harmonização desta semana, principalmente porque esse ano se comemora o centenário de Luiz Gonzaga (13/12/1912). Mas um artista brasileiro como este sempre merece ser homenageado.

E para contar a história dele, nada melhor do que ouvir em forma de baião, do próprio Lua. É comprido o vídeo, mas para ouvir o refrão de “Respeita Januário” vá direto para o 7m 36 s. Depois, abuse do seu Xodó,  juntinho em um Xote, numa Sala de Reboco. A Cozinha da Matilde Recomenda… Qui nem jiló!